assine o feed

siga no Twitter

Contador de Visitantes



domingo, 12 de outubro de 2008

Gabriel Pensador- Entrevista

Entrevista retirada do site do Zico:http://www.ziconarede.com.br

Gabriel Pensador



Gabriel o Pensador não grava um CD desde 2005. O próximo ficou para o ano que vem. Por motivos nobres. O cantor e compositor, autor de pérolas do pop brasuca, como "Cachimbo da paz", "Festa da música" e "LôraBúrra", vem dando lugar ao escritor e roterista de teatro.

Além de shows, o rapper viaja pelo Brasil dando palestras em feiras de livro, graças aos dois livros que lançou. O segundo deles, "Um garoto chamado Rorbeto" (cujo pai era analfabeto, daí o erro da grafia) ganhou o prêmio mais importante da literatura brasileira e virou peça de teatro que será encenada neste domingo, 12 de outubro, dia das crianças, no Canecão, a casa de espetáculo mais tradicional do Rio.

Gabriel também vai lançar um DVD infantil, cuja inspiração veio nos filhos Tom e Davi, frutos da união com a mulher, a cantora e atriz Ana Lima.

Rubro-negro de carteirinha, Gabriel atribui a Zico e ao timaço da década de 80 a sua escolha. E conta, com orgulho, o dia em que roubou uma bola do Galinho em uma pelada na Gávea entre artistas e os campeões mundiais de 81. Além disso, o futebol pode ser outro campo de atividade do cantor. Confira o bate-papo com o ZNR.

ZNR: Fale sobra a sua identificação com o Flamengo. É normal você circular com a camisa do time, já cantou o hino para o CD da Placar. Como você virou flamenguista? Zico e aquele timaço do começo da década de 80 têm de alguma “culpa” no cartório?

GP: Outro dia perguntei para o meu tio flamenguista se ele tinha me influenciado a ser rubro-negro na infância, já que meu pai é tricolor e eu sempre torci pelo Fla. Ele disse que não, então a culpa foi do Zico mesmo, junto com os outros jogadores, é claro.

Você tem alguma história interessante com o Zico, como algum jogo memorável ou um encontro com o Galinho?

Olha, confesso que eu, como peladeiro, sou um bom rapper (risos), mas teve um jogo de comemoração na Gávea uma vez que era um time de artistas (tudo perna-de-pau, o ataque era eu e o Léo Jaime) e o outro time era o Flamengo de 1981 quase completo. Eles deram um show de bola, mas demoraram a fazer o primeiro gol, pois o nosso goleiro era profissional e sortudo demais também. Quando o jogo estava zero a zero ainda, eu podia ter feito um gol no contra-ataque, mas dei um chute bisonho que o Zico até comentou no intervalo, para me zoar. No segundo tempo, a gente estava levando uma goleada e eu estava ajudando a defesa quando ele veio driblando o meu time quase inteiro. Quando chegou em mim, acho que ele tinha cansado de driblar tanta gente, sei lá, mas o fato é que eu tirei a bola do Zico nessa jogada, acredite se quiser (risos)!

Como anda a carreira? Parece que a literatura e o teatro estão tomando mais tempo do que a música, certo?

Estou viajando muito, fazendo shows e palestras, então o disco ficou atrasado no estúdio. Sai no ano que vem. As palestras são em feiras do livro e em escolas que adotam o meu livro, "Diário Noturno" (quem quiser pode dar uma olhada no site, pois este não está nas livrarias). Tenho também um livro infantil, "Um garoto chamado Rorbeto", que virou peça de teatro (eu escrevi o roteiro também).

A peça está sendo dirigida pela grande Sura Berditchevsky, que fez "Cócegas" e vários outros espetáculos. Ela é muito fera, ficou lindo. Neste domingo, dia das crianças, a gente vai fazer uma apresentação especial, no Canecão, no Rio. A peça também tem músicas e a direção musical é minha e do Tiago Mocotó, meu irmão. André Gomes compôs e gravou essas músicas com a gente. Depois dessa apresentação no Canecão, domingo à tarde, a gente quer rodar com o espetáculo em outras cidades.

Seu último CD é de 2005, “Cavaleiro andante” e o próximo está previsto para março de 2009. A pegada vai ser a mesma, com protesto, irreverência e várias citações de outros artistas? Ele está mais rock, mais rap ou misturado?

Misturado. É hip hop com música brasileira, com algumas coisas sampleadas e outras tocadas por convidados, mas ainda é cedo pra falar de detalhes do CD.

E o disco e DVD infantil? Surgiu naturalmente depois do livro e da peça? A paternidade também inspirou?

Eu gravei onze músicas para este projeto que vai vir em forma de DVD. A idéia nasceu meio que brincando com as crianças sim, principalmente com o mais velho. Tenho dois flamenguistas lá em casa, um de seis e um de três. É o maior barato ser pai. É inspirador para o trabalho e para a vida.

Ser famoso na música ajuda na hora de ganhar leitores? Geralmente eles também são seus ouvintes ou o Gabriel, "o Escritor”, ganhou novos fãs através da literatura?

Ganhei novos fãs com o livro infantil, crianças que não conheciam ainda as músicas. Esse livro (Um garoto chamado Rorbeto) ganhou o prêmio Jabuti e também está sendo trabalhado em escolas. É muito bom. Mas o fato de ser cantor ajuda sim a movimentar as coisas numa feira do livro, por exemplo, atraindo fãs das minhas músicas para um ambiente literário, mesmo que nem todos sejam leitores frequentes.

Como morador do bairro de São Conrado, você também cultivou uma identificação com a Rocinha, que acabou se transformando na ONG Pensando Junto. Fale um pouco desse projeto. Quantas crianças ele atende? O que elas aprendem? E o que você vislumbra dela no futuro?

A gente tem o Pensando Junto há cinco anos. É um trabalho com 30 crianças e adolescentes, com aulas de reforço escolar e aulas de discotecagem, rap, break, artes e cidadania. Tem uma matéria recente sobre isso lá no meu blog. Convido vocês a darem uma olhada. Entrem no meu site que lá tem o link pro blog, pro orkut etc. O site é www.gabrielopensador.com.br

Música, literatura, teatro... Tem mais alguma arte que você pretende explorar?

Estou ajudando dois jogadores de futebol a fazerem testes em alguns clubes. Tenho um parceiro forte nessa área e a coisa rolou naturalmente, o pai de um jogador me mandou um DVD, um amigo do outro me falou que ele era o melhor jogador do bairro dele, sabe como é. Não sei se vou acabar me envolvendo mais a sério com isso, mas sem dúvida o futebol é mais uma das minhas paixões e tem muito moleque bom de bola aí precisando de uma oportunidade.

Mande um recado para o Zico lá no Uzbequistão.

Rei, rei, rei, o Zico é o nosso rei. Por tudo que fez e faz dentro e fora dos campos, nosso ídolo maior é você, Galinho, obrigado!

3 comentários:

Vlademir disse...

É sempre bom demais ver uma entrevistga dessas do Gabo.

antonio jesus silva disse...

REVOLUÇÃO QUILOMBOLIVARIANA !
A COMUNIDADE NEGRA AFRO-LATINA BRASILEIRA
APOIA E É SOLIDARIA AO POVO PALESTINO.VIVA A PALESTINA!
Viva! Chàvez! Viva Che!Viva! Simon Bolívar! Viva! Zumbi!
Movimento Chàvista Brasileiro

Manifesto em solidariedade, liberdade e desenvolvimento dos povos afro-ameríndio latinos, no dia 01 de maio dia do trabalhador foi lançado o manifesto da Revolução Quilombolivariana fruto de inúmeras discussões que questionavam a situação dos negros, índios da América Latina, que apesar de estarmos no 3º milênio em pleno avanço tecnológico, o nosso coletivo se encontra a margem e marginalizados de todos de todos os benefícios da sociedade capitalista euro-americano, que em pese que esse grupo de países a pirâmide do topo da sociedade mundial e que ditam o que e certo e o que é errado, determinando as linhas de comportamento dos povos comandando pelo imperialismo norte-americano, que decide quem é do bem e quem do mal, quem é aliado e quem é inimigo, sendo que essas diretrizes da colonização do 3º Mundo, Ásia, África e em nosso caso América Latina, tendo como exemplo o nosso Brasil, que alias é uma força de expressão, pois quem nos domina é a elite associada à elite mundial é de conhecimento que no Brasil que hoje nos temos mais de 30 bilionários, sendo que a alguns destes dessas fortunas foram formadas como um passe de mágica em menos de trinta anos, e até casos de em menos de 10 anos, sendo que algumas dessas fortunas vieram do tempo da escravidão, e outras pessoas que fugidas do nazismo que vieram para cá sem nada, e hoje são donos deste país, ocupando posições estratégicas na sociedade civil e pública, tomando para si todos os canais de comunicação uma das mais perversas mediáticas do Mundo. A exclusão dos negros e a usurpação das terras indígenas criaram-se mais e 100 milhões de brasileiros sendo estes afro-ameríndios descendentes vivendo num patamar de escravidão, vivendo no desemprego e no subemprego com um dos piores salários mínimos do Mundo, e milhões vivendo abaixo da linha de pobreza, sendo as maiores vitimas da violência social, o sucateamento da saúde publica e o péssimo sistema de ensino, onde milhões de alunos tem dificuldades de uma simples soma ou leitura, dando argumentos demagógicos de sustentação a vários políticos que o problema do Brasil e a educação, sendo que na realidade o problema do Brasil são as péssimas condições de vida das dezenas de milhões dos excluídos e alienados pelo sistema capitalista oligárquico que faz da elite do Brasil tão poderosa quantos as do 1º Mundo. É inadmissível o salário dos professores, dos assistentes de saúde, até mesmo da policia e os trabalhadores de uma forma geral, vemos o surrealismo de dezenas de salários pagos pelos sistemas de televisão Globo, SBT e outros aos seus artistas, jornalistas, apresentadores e diretores e etc.
Manifesto da Revolução Quilombolivariana vem ocupar os nossos direito e anseios com os movimentos negros afro-ameríndios e simpatizantes para a grande tomada da conscientização que este país e os países irmãos não podem mais viver no inferno, sustentando o paraíso da elite dominante este manifesto Quilombolivariano é a unificação e redenção dos ideais do grande líder zumbi do Quilombo dos Palmares a 1º Republica feita por negros e índios iguais, sentimento este do grande líder libertador e construí dor Simon Bolívar que em sua luta de liberdade e justiça das Américas se tornou um mártir vivo dentro desses ideais e princípios vamos lutar pelos nossos direitos e resgatar a história dos nossos heróis mártires como Che Guevara, o Gigante Osvaldão líder da Guerrilha do Araguaia. São dezenas de histórias que o Imperialismo e Ditadura esconderam. Há mais de 160 anos houve o Massacre de Porongos os lanceiros negros da Farroupilha o que aconteceu com as mulheres da praça de 1º de maio? O que aconteceu com diversos povos indígenas da nossa América Latina, o que aconteceu com tantos homens e mulheres que foram martirizados, por desejarem liberdade e justiça? Existem muitas barreiras uma ocultas e outras declaradamente que nos excluem dos conhecimentos gerais infelizmente o negro brasileiro não conhece a riqueza cultural social de um irmão Colombiano, Uruguaio, Venezuelano, Argentino, Porto-Riquenho ou Cubano. Há uma presença física e espiritual em nossa história os mesmos que nos cerceiam de nossos valores são os mesmos que atacam os estadistas Hugo Chávez e Evo Morales Ayma,Rafael Correa, Fernando Lugo não admitem que esses lideres de origem nativa e afro-descendente busquem e tomem a autonomia para seus iguais, são esses mesmos que no discriminam e que nos oprime de nossa liberdade de nossas expressões que não seculares, e sim milenares. Neste 1º de maio de diversas capitais e centenas de cidades e milhares de pessoas em sua maioria jovem afro-ameríndio descendente e simpatizante leram o manifesto Revolução Quilombolivariana e bradaram Viva a,Viva Simon Bolívar Viva Zumbi, Viva Che, Viva Martin Luther King, Viva Osvaldão, Viva Mandela, Viva Chávez, Viva Evo Ayma, Viva a União dos Povos Latinos afro-ameríndios, Viva 1º de maio, Viva os Trabalhadores e Trabalhadoras dos Brasil e de todos os povos irmanados.

Andrea disse...

IAI BOA TARDE TENHO UM GAROTO DE 16 ANOS , TEM 1.84 DE ALTURAEPESA 71 QUILOS E JOGA NA FUNÇÃO DE ZAGUEIRO E LATERAL DIREITO.
JA´ATUOU NO SANTA CRUZENSE, X DE JAU, BANDEIRANTES PR, ESTEVE E TESTE NO PARANA CLUBE , CORITIBA , SAVOIA , NO INTERNACIONAL DE PORTO ALEGRE,M NESSE MEIO D FUTEBOL HOJE NÃO É SÓ SER BOM DE BOLA , E SIM TER UM BVOM EMPRESARIO , MORO EM LENÇOIS PAULISTA SP MEU TEL. 1432644411, 1497821115 OU 1496654093 GRATO.